Páginas

Então um novo ano chegou. Momento oportuno de olhar para trás e fazer um balanço de tudo que passou, agradecer. Reveillow sempre foi momento de celebração, família, pessoas queridas, comemorando a chegada de um novo ano, renovação, mas para mim apenas mais um dia... há tempos que essa data não chega a ser uma comemoração. Todo ano, minha avó, minha mãe e eu, estourando um espumante e olhando para o céu na sacada. A verdade é que a emoção desse dia se perdeu para mim por outros motivos.

Escolhi hoje, o primeiro dia do ano para fazer um balanço do que foi 2011 para mim, já posso falar no passado já que agora ele realmente acabou e uma forma de compensar o fato de eu ter escrito tão pouco, quando na verdade eu tinha muito a dizer. Sentimentos, pensamentos, momentos para compartilhar, 2011 foi muito importante e eu só tenho a agradecer por ele, mas vou avisando que essa retrospectiva pode levar alguns posts então preparem-se.

Primeiro, porque essa data perdeu o encanto para mim. Quando eu era adolescente passavamos esse dia num clube agrícola, no reduto da minha família paterna: Estrada da Ilha. Jantávamos e na virada comemorávamos, a parte entediante era o baile, eu detestava aquilo, porque como só tocava vanerão, eu corria o sério risco de ser tirada para dançar e eu morria de vergonha daquilo. Se fosse hoje em dia provavelmente tocaria funk, sertanejo universitário e sei lá mais o que para me assombrar. Mas bem, foi numa situação dessas que conheci meu primeiro namorado, eu disse conheci, só fomos nos reencontrar e namorar 8 meses depois.

Isso em si não tornava a data ruim até que num determinado ano, ao invés de fazer promessas fiz um único pedido, eu queria alguém na minha vida para amar. Não lembro exatamente as palavras que usei, mas o sentido foi esse. Alguns dias depois conheci uma pessoa na internet, trocamos mensagens, nos conhecemos e dois meses depois estávamos namorando. E tudo foi tão depressa, estávamos de repente fazendo planos de casamento e mil coisas e eu tinha certeza que meu pedido tinha sido atendido, até que numa madrugada, mais precisamente de 12 para 13 de junho uma mensagem chegou ao meu celular e dali para adiante não mais foi o mesmo.

Em resumo, fiz uma grande besteira, larguei o certo pelo duvidoso e mudei o rumo da minha vida e a forma como eu olharia para ela dali para frente. Recebi promessas de amor, de uma vida juntos e tudo mais e como vinham de alguém que me conhecia há muito tempo eu acreditei, porque nunca amei ninguém como havia o amado, mas ele me traiu, traiu minha confiança, meu amor, brincou comigo e com meus sentimentos e isso começou a se descortinar num reveillow, de 2008 para 2009. Mais de 3 horas no telefone e uma frase que jamais esqueci "Acho que a gente não tem como dar certo".

Depois disso, todo reveillow eu esqueço dos pedidos, das promessas e só lembro da dor. Ela tem ficado mais fraca, mas é difícil entrar no quarto escuro enquanto fogos ainda queimam no céu e sentir uma fisgada no peito. Foi como se eu tivesse deixado de acreditar na energia desse dia e o visse apenas como a virada no calendário e apesar disso, ao menos hoje, antes que o ano realmente acabasse eu pude parar, refletir e agradecer pelo grande ano que eu tive e ficou em mim o desejo de pegar esse ano novinho e começar de novo, deixando para trás essas lembranças tolas e dolorosas que um dia eu sei vão deixar de fazer parte da minha vida, até lá vou conviver com elas, mas na certeza de que serão combustível para eu me tornar cada dia mais forte. Sempre que elas me fizerem fraquejar e eu cair, irei levantar ainda mais rápido até que não me derrubem mais.

Bom, amanhã continuo. Um excelente ano a todos!



A palavra saudade realmente mexe fundo comigo. Estou no transporte, de volta para casa depois de um dia super agitando e cansativo, envolta em correção de avaliações, notas, preenchimento de diário. Estou cansada e em meio a discussões de professores eu me fechei no meu universo paralelo.
Com os fones no ouvido escutei Never Gonna Be Alone, logo a música que me lembra você, uma lágrima correu pelo meu rosto ao lembrar do tempo que faz que não te vejo e do tempo que com certeza ficarei sem te ver. Sinto muito a sua falta e não sei como mas acho que de alguma forma você sente a minha também, porque cada palavra que digo, mesmo solta, você entende que é para você.
Durante a música me veio a mente nosso último abraço. Foi tão especial, porque marcou um dia muito importante e naquele dia eu nem me de conta de quem estava a nossa volta, quem podia estar olhando ou o que iriam pensar, eu só corri até você e você me recebeu de braços abertos.
Nossa amizade foi tão breve, mas não passageira, você está longe, mas as coisas boas que guardo de você sempre irão me fazer companhia, você só está longe dos meus olhos, mas não do meu coração e o que te torna tão especial na minha vida é o fato de me enxergar de uma forma que poucos até hoje me enxergaram, ou por não quererem se envolver, ou por simplesmente ignorarem quem realmente sou. Você não, você enxerga através de mim, dos meus olhos, você é meu amigo mesmo que a gente não se veja e eu sinto muita falta de poder contar contigo, da nossa conversa fácil, das risadas, você me fazia ser eu mesma e eu sinto falta de quem eu era contigo. Sei que essa parte de mim está em algum lugar, talvez esperando você aparecer para despertá-la, até fico com  a saudade e com o que aprendi a ser enquanto você está distante.